Dia mundial do doador de sangue

O doador de sangue é alguém bonito, que ama, que faz o bem sem olhar a quem, e que é solidário. Quem sabe não se sinta muito seguro, mas transmite segurança. Agarra a oportunidade de ser generoso com um pouco de si e sabe que risco só corre quem precisa de sangue e não tem. O doador de sangue é consciente de que a cada dois segundos, aproximadamente, outro alguém necessita de uma transfusão. É um herói anônimo, muitas vezes, mas sempre reconhecido. De forma rápida, ajuda a quem precisa e jamais se arrepende.

Não se importa com a picada, embora, em alguns casos, feche os olhos e enfrente este medo por causa de desconhecidos, pois vê, nesta ocasião, a chance de superar o medo da agulha. Afinal, existem coisas que doem mais e não fazem tanto bem quanto.

O doador de sangue é membro honorário de um “clube” onde não se paga anuidade, mas que recebe muitos benefícios em seu coração, se sente bem e faz algo diferente. O doador de sangue é altruísta, é o santo do dia, é uma pessoa bacana que faz boas ações. Se for homem, poderá doar a cada dois meses e até quatro vezes por ano, e esse gesto valerá para o ano todo. Que importa se o doador de sangue for pão-duro? Quando ele doa, não gasta um centavo!

O doador de sangue é alguém admirável, de quem os pais e familiares se orgulham. É alguém de sangue bom! Não é egoísta e, com apenas uma doação, enche até três corações de esperança. De negativo, o doador de sangue só tem o sangue, cheio de plaquetas que agem positivamente. Aliás, não importa qual é o seu tipo, tem sempre alguém que precisa, porque o Brasil inteiro faz parte da mesma família, e o doador de sangue, este parente querido, não vai deixar outro na mão. Reconhece que seu sangue é tão bom, e, por isso, não guarda só para ele. O doador sabe que é melhor doar do que receber. Ele tem a solidariedade nas veias.

O doador de sangue sabe que, na hora de doar, todo mundo é igual. Não existe rico, pobre, raça, credo ou cor. Ele tem coração bom, e seu sangue é melhor ainda. O doador tem “sangue azul” e nobre.

Essa pessoa fantástica que doa seu sangue não tem carência afetiva e é paparicada no local da doação e em casa. É alguém interessante e realmente importante, com quem todos se preocupam e são atenciosos. Aparentemente faz pouca coisa, mas de verdade faz muito ao esticar o braço, por poucos minutos. O doador de sangue salva vidas com apenas 450 ml que não fazem falta ao seu corpo, mas fazem uma grande diferença para alguém. Ele sabe que, de boas intenções, o hemocentro está carente.

O doador de sangue doa algo que não tem substituto. É alguém especial, que tem atitude, consciência e coragem. Ele vive e permite que outros vivam. Ajuda famílias a continuarem unidas. Faz o amor de alguém viver e faz algo que os médicos não podem fazer.

Esse ser tão amável não tem hora certa para doar, mas doa quando é preciso. Aparece sem avisar e mesmo assim faz pessoas felizes porque tem o que falta para alguém viver. Ele se importa com o filho ou a filha de desconhecidos. Ele muda toda uma história, mesmo sem saber.

O doador de sangue mostra que o mundo tem jeito, sim. É um cidadão a quem todos querem abraçar e que faz a melhor coisa do mundo! Ele sabe que sangue bom é sangue doado, e seu sangue é perpetuado. É uma pessoa única, que não se importa em ser igual. É alguém de grande coração e que sabe que amar nunca é demais!

Feliz dia Mundial do Doador de Sangue!

De Elkeane Aragão, inspirado nas 193 razões da campanha Bombeiro Sangue Bom 2010.