Vida por Vidas

Sala de Imprensa

Lançamento nacional do projeto de incentivo à doação de sangue

Na segunda-feira, 18 de abril, às 10h, no Hemocentro de Brasília, acontece o lançamento nacional do Projeto Vida por Vidas. Após as solenidades de lançamento, que contará com as presenças da liderança do projeto, dezenas de voluntários do Vida por Vidas realizarão, neste dia, a doação de sangue.

Há cinco anos, o Projeto Vida por Vidas tem promovido ações de estímulo aos jovens e adultos para que sejam doadores regulares de sangue. Em 2011, o projeto quer ampliar a sua atuação dando ênfase, também, na doação de medula óssea, ato que pode garantir a vida para pacientes com leucemia, anemia falciforme, entre outras doenças.

O coordenador sul-americano do projeto Vida por Vidas, Areli Barbosa, explica que o Vida por Vidas tem objetivos bem claros. Um deles é o de criar uma conscientização da necessidade de doação de sangue, medula óssea e plaquetas. O outro objetivo é manter uma rede de doadores em todo o país capaz de ser acionada rapidamente em caso de necessidade dos hemocentros e instituições hospitalares. “Este projeto, cuja liderança é dos jovens em todas as regiões e países, tem como motivação o amor que temos pela vida das pessoas com base no amor que entendemos que Jesus Cristo manifestou por nós ao morrer”, explica.

“O projeto Vida por Vidas é de extrema importância por contribuir no aumento do número de doadores voluntários de sangue saudáveis, com baixa transmissão de doenças. Além disso, o Ministério da Saúde apoia e reconhece ações de incentivo desenvolvidas por organizações, como é o caso do grupo da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que evidencia a responsabilidade social do ato de doação voluntária de sangue”, afirma Guilherme Genovez, coordenador Geral de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde.

Os números mostram que o incentivo às doações tem surtido efeito. Em 2010, por influência do projeto Vida por Vidas, 33.750 pessoas doaram sangue no Brasil. A ação ultrapassou as fronteiras e, em países como Argentina, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai, o número de doadores influenciados pela ação foi de 22.420 no ano passado. O projeto é realizado desde 2006. O desafio, no entanto, é claro se forem analisados os dados gerais de doação. A doação de medula óssea também avança. Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) mostram que, em 2010, foram cadastrados 1 milhão e mais de 800 mil doadores contra 1 milhão e 370 mil registrados em 2009. Acesse o site oficial do projeto www.vidaporvidas.com.

Projeto de incentivo à doação de sangue amplia ação em 2011

Na segunda, 18 de abril, às 10h, no Hemocentro de Brasília, acontece o lançamento nacional do Projeto Vida por Vidas. A cerimônia vai contar com as presenças do coordernador sul-ameriano do projeto, pastor Areli Barbosa e Dr. Guilherme Genovez, coordenador de política nacional de sangue e hemoderivados do Ministério da Saúde.

Durante esta manhã dezenas de jovens adventistas Depois de cinco anos de ação de estímulo aos jovens e adultos para que sejam doadores sistemáticos de sangue, o projeto Vida por Vidas amplia sua atuação. Em 2011, a ênfase também está na doação de medula óssea, ato que pode garantir a vida para pacientes com leucemia, anemia falciforme, entre outras doenças. Além de manter um site (www.vidaporvidas.com.br), o projeto, operacionalizado pelos jovens adventistas do sétimo dia, conta com divulgação em emissoras de TV, rádio, web, mantém contato permanente com os doadores e possui apoio da Coordenação de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde como um dos apoiadores oficiais.

Os números mostram que o incentivo às doações tem surtido efeito. Em 2010, por influência do projeto Vida por Vidas, 33.750 pessoas doaram sangue no Brasil. A ação ultrapassou as fronteiras e, em países como Argentina, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai, o número de doadores influenciados pela ação foi de 22.420 no ano passado. O projeto é realizado desde 2006. O desafio, no entanto, é claro se forem analisados os dados gerais de doação. A doação de medula óssea também avança.

Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) mostram que, em 2010, foram cadastrados 1 milhão e mais de 800 mil doadores contra 1 milhão e 370 mil registrados em 2009. O coordenador sul-americano do projeto Vida por Vidas, Areli Barbosa, explica que o Vida por Vidas tem objetivos bem claros. Um deles é o de criar uma conscientização da necessidade de doação de sangue, medula óssea e plaquetas. O outro objetivo é manter uma rede de doadores em todo o país capaz de ser acionada rapidamente em caso de necessidade dos hemocentros e instituições hospitalares. “Este projeto, cuja liderança é dos jovens em todas as regiões e países, tem como motivação o amor que temos pela vida das pessoas com base no amor que entendemos que Jesus Cristo manifestou por nós ao morrer”, explica.

“O projeto Vida por Vidas é de extrema importância por contribuir no aumento do número de doadores voluntários de sangue saudáveis, com baixa transmissão de doenças. Além disso, o Ministério da Saúde apoia e reconhece ações de incentivo desenvolvidas por organizações, como é o caso do grupo da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que evidencia a responsabilidade social do ato de doação voluntária de sangue”, afirma Guilherme Genovez, coordenador Geral de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde.